Uma morte já havia sido confirmada no interior. No estado, foram notificados 457 casos suspeitos de sarampo, sendo que 86 foram descartados e outros 357 são investigados.

A Secretaria de Saúde divulgou, nesta segunda (9), que 14 casos de sarampo foram confirmado em Pernambuco, neste ano. Segundo o boletim, o estado registrou 457 casos suspeitos de sarampo até a sexta (6). Desse total, 86 foram descartados, 357 estão em investigação, além dos confirmados após exames. A única morte por sarampo no estado foi a registrada em Taquaritinga do Norte.

As confirmações foram feitas após análise laboratorial do Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE) e a Fiocruz RJ. Dos casos confirmados de sarampo, três foram no Recife, três em Caruaru, cinco em Taquaritinga do Norte, um em Frei Miguelinho, um em Santa Cruz do Capibaribe e um em Vertentes.

Até o dia 2 de setembro, o estado contava com 395 casos suspeitos da doença. Desses, 86 já foram descartados e 13 foram confirmados após análise laboratorial realizada pela Fiocruz RJ.

Desde o dia 2 de setembro deste ano, oito unidades de saúde do Recife contam com o horário estendido para vacinação. De acordo com a prefeitura, a cada dia, dois postos ficam abertos até as 21h, por causa do aumento da procura pela vacina tríplice viral, que protege contra a doença, que está em surto no Brasil, além de caxumba e rubéola. O reforço segue até o fim do mês de setembro.

Taquaritinga do Norte, cidade do Agreste que teve a primeira morte confirmada de sarampo em Pernambuco, este ano, recebeu 28,5 mil doses extras da vacina tríplice viral.

Vacina

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba e está disponível de rotina nas salas de vacina dos municípios. Em 2019, em Pernambuco, até o fim de agosto, 85% das crianças com 1 ano fizeram a primeira dose da tríplice viral e 63%, a segunda. A meta mínima é de 95% de cobertura, levando em conta o público de todas as idades.

A imunização deve seguir o seguinte esquema:

  • Indivíduos de 12 meses a 29 anos de idade: 2 doses de tríplice viral com intervalo mínimo de 30 dias entre elas;
  • Indivíduos de 30 a 49 anos de idade não vacinados: 1 dose de tríplice viral;
  • Profissionais de saúde não vacinados: 2 doses com a vacina tríplice viral independente da idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.
  • Ainda é indicada a vacinação de crianças de 6 meses a menores de 1 ano que vão se deslocar para municípios que apresentam surto ativo de sarampo. A imunização deve ser feita pelo menos 15 dias antes da viagem.

Sintomas

A Secretaria de Saúde alerta que é preciso prestar atenção nos sintomas do sarampo. São eles: febre, manchas avermelhadas, que começam na cabeça e vão descendo para o restante do corpo, tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite.

Esse cuidado deve ser tomado sem levar em conta a idade ou se a pessoa tomou vacina alguma vez.

Também é preciso ficar em alerta para casos de pessoas com história de viagem para locais com circulação do vírus do sarampo, nos últimos 30 dias, ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou para local com circulação viral.

A notificação de caso suspeito de sarampo é obrigatória. Apresentando essa sintomatologia, é importante ir ao posto de saúde mais próximo para receber a devida assistência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here